Pela primeira vez, o Brasil terá um filme concorrendo na categoria Melhor Animação durante a cerimônia do Oscar. O filme “O menino e o mundo”, do diretor Alê Abreu, conquistou a indicação inédita graças à sua perspectiva autoral e toques artísticos e poéticos, que vêm encantando audiências em diversos países.

 

“O menino e o mundo” apresenta as aventuras de um menino em busca de seu pai. Para isso, ele deixa uma pequena aldeia isolada dos grandes centros, e vai ao encontro de seu destino. Por meio da sua jornada, são discutidos temas sobre a globalização, a crise econômica e a perda de valores.

 

O anúncio da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood foi tomado de surpresa pelos criadores do filme, já que filmes brasileiros nunca haviam sido indicados para essa categoria. Seus concorrentes são as animações “Anomalisa”, “Divertida mente”, “Shaun, o carneiro” e “Quando estou com Marnie”.

 

No entanto, esta não é a primeira boa notícia recebida pela equipe criada da animação. “O menino e o mundo” recebeu o Prêmio Cristal de longa-metragem no encerramento do 38º Festival do Filme de Animação de Annecy realizado no ano passado.

 

A premiação é promovida no leste da França, e é considerada como o principal momento mundial do cinema de animação. A animação brasileira também recebeu a menção especial do júri no Ottawa International Animation Festival.

 

Diretor é também ilustrador e artista plástico

 

O cineasta paulista Alê Abreu, de 44 anos, têm em seu currículo a animação “Garoto Cósmico” (2007), além dos curtas “Espantalho” (1998) e “Passo” (2007). Ele iniciou sua carreira na área de publicidade como ilustrador, criando peças para revistas, jornais e livros. Foi o criador da imagem dos 18 anos de AnimaMundi, mesmo festival que o homenageou em 2007. Em 2009, criou e dirigiu o piloto da série “Vivi Viravento” para o AnimaTV, da TV Cultura.

 

Como escritor, ele lançou o livro “Garoto Cósmico” com José Pares de Lira em 2008, e “Mas Será que Nasceria a Macieira?”, em parceria com Priscilla Kellen, em 2010. Além desses, seu currículo conta com dezenas de outros títulos que ele ilustrou em parceria com diversos autores, além de vídeos e exposições como artista plástico.

 

“O menino e o mundo” é a criação mais longa de Alê Abreu, com 85 minutos. Os vencedores do