Falar do Rio de Janeiro e não falar de suas praias é praticamente impossível. Por isso, a gente separou um artigo só para elas. Prepare os óculos de sol e o protetor solar e confira abaixo opções clássicas e destinos menos óbvios.

 

Praia do Arpoador

Das praias famosas do Rio de Janeiro, o do Arpoador é certamente a mais interessante. Seja para aproveitar o por do sol das pedras, seja para relaxar na areia branca ou se aventurar na prática o surf, não há como sair de lá decepcionado. Uma dica legal é fazer a trilha da Ponta do Arpoador, que separa a Praia do Diabo, limitada pelo Forte de Copacabana, e a Praia do Arpoador, em Ipanema. O acesso é fácil e a vista é linda.

 

Praia de Ipanema

Imortalizada na canção “Garota de Ipanema”, de Vinicius de Moraes e Tom Jobim, a Praia de Ipanema é parada obrigatória para turistas. Com excelente estrutura, banheiros públicos e postos de salva-vidas, a praia fica próxima a diversos barzinhos e restaurantes, o que torna o passeio bastante conveniente. Prepare-se para se deparar com bastante movimento, principalmente durante os finais de semana.

 

Praia do Perigoso

Na onda dos roteiros menos óbvios, a Praia do Perigoso é ideal para quem gosta de aventura e paisagens de tirar o fôlego. Ela fica um pouco distante dos destinos mais comuns, como Ipanema e Copacabana. Localizada em Barra de Guaratiba, é necessário percorrer uma trilha de 40 minutos para chegar ao local. No caminho, é possível avistar a Pedra da Tartaruga (ótima para prática do rapel) e a Praia do Meio. A Praia do Periogoso fica quase deserta mesmo em períodos de alta estação.

 

Prainha

Se a ideia é menos movimento, porém uma praia mais acessível, a melhor opção é a Prainha. Localizada no Recreio dos Bandeirantes, ela é bastante procurada por surfistas, mas foge do circuito turístico clássico. A praia é cercada pela Mata Atlântica, então o ideal é chegar cedo. Depois das 16h, o sol vai embora.

 

Praia do Secreto

Pertinho da Prainha, a Praia do Secreto conta com uma piscina natural de águas cristalinas. Para chegar até lá, é preciso seguir uma pequena trilha de pedras. A descida é um pouco íngreme, mas o visual compensa o esforço. Antes de programar sua visita, atenção na maré: as muito altas ou muito baixas fazem com que a piscina desapareça.