Vinte anos atrás, um acidente aéreo encerrou a carreira do Mamonas Assassinas, grupo musical que marcou uma geração pela sua irreverência, e conquistou de imediato uma legião de fãs em todo o Brasil. Seu primeiro e único álbum vendeu 3 milhões de cópias, e foi presença constante em todas as rádios e em programas de televisão durante os apenas sete meses de carreira dos garotos de Guarulhos.

 

Para marcar a data, foram promovidas diversos eventos e homenagens ao grupo durante o mês de março. E uma delas é o Musical Mamonas, criado pelos produtores Rose Dalney, Márcio Sam e Túlio Rivadávia, com roteiro de Walter Daguerre (mesmo do musical Jim, sobre Jim Morrison), direção de José Possi Neto, direção musical de Miguel Briamonte, coreografia de Vanessa Guillen e make-up designer de Anderson Bueno.

 

Improvisação tem espaço no musical

Em um clima de descontração e de muita paródia, como era a marca do grupo, o espetáculo mostra a trajetória dos cinco meninos de Guarulhos e como eles se tornaram queridos pelo público brasileiro em tão pouco tempo. Para garantir esse resultado, Possi Neto garantiu espaço para a improvisação entre as marcações precisas do musical, o que garante que um dia de apresentação nunca será exatamente igual ao outro.

 

O musical estreia no dia 11 de março , no Teatro Raul Cortez, e tem duas horas de duração. Em seu elenco estão cinco jovens atores escolhidos por meio de audições: Ruy Brissac (que vive o vocalista Dinho), Adriano Tunes (tecladista Julio), Yudi Tamashiro (guitarrista Bento), Elcio Bonazzi (baixista Samuel) e Arthur Ienzura (baterista Sérgio).

 

Familiares ajudaram na recriação dos personagens

Apesar da semelhança física entre eles e o grupo original, o principal critério de escolha foi por aqueles que pudessem reproduzir a irreverência dos Mamonas Assassinas de uma forma não caricata. E, para ajudar nessa recriação, familiares dos integrantes do grupo Mamonas Assassinas ofereceram informações essenciais para a caracterização dos personagens.

 

Também faz parte do elenco o versátil ator Patrick Amstalden, que interpreta o empresário do grupo, Rick Bonadio, entre outros papeis durante o musical. Além das canções que fizeram sucesso na voz dos Mamonas Assassinas, foram integradas ao espetáculo outras músicas que fizeram sucesso na época, em busca de uma contextualização histórica.

 

O principal desafio do grupo foi, no entanto, lidar com o final trágico da história do grupo. E a solução encontrada foi deixar que eles contassem a própria história lá do céu, com a benção do Anjo Gabriel. O espetáculo Musical Mamonas continua em cartaz até 25 de maio, de quinta a domingo, e os ingressos custam R$ 120,00.