Obra de Monet é arrematada por valor recorde

Uma pintura de Claude Monet alcançou um novo recorde na noite desta quarta-feira (16/11) durante um leilão realizado pela casa Christie's, em Nova York. A obra Meule foi arrematada por 81,4 milhões de dólares, 1 milhão a mais do que valor mais alto já pago por um quadro do mestre impressionista francês.

Segundo a agência de notícias AFP, o leilão durou quase 15 minutos, o que é incomum para leilões deste tipo. Uma mulher que se encontrava na sala tentou alguns lances até apresentar sua última oferta, de 53 milhões de dólares, antes de desistir e ceder a compradores que negociavam por telefone.

A obra em questão traz uma cena de crepúsculo com uma pilha de feno em formato cônico em primeiro plano. De acordo com a Christie's, é uma das poucas pinturas de Monet que ainda se encontrava em mãos privadas. Atualmente, a maioria dos quadros do artista pode ser vista em locais como o Museu d'Orsay, em Paris; o Metropolitan, em Nova York; ou o Instituto de Arte de Chicago.

Meule faz parte de uma série de 24 imagens intitulada Les Meules, todas feitas por Monet durante o inverno de 1890-91 num campo perto de sua casa no vilarejo francês de Giverny, na Normandia. A pintura havia sido adquirida em setembro de 1891 pela galeria de arte Knoedler & Co, que a levou aos Estado Unidos.

O recorde anterior por uma obra de Monet havia sido obtido em junho de 2008. Na ocasião, Le Bassin aux Nymphéas ("Nenúfares") foi vendida por 80,4 milhões de dólares em Londres. O preço desta quarta também superou as estimativas da casa, que apostava em uma venda no valor de 45 milhões de dólares.

Outro destaque na noite de quarta-feira foi a venda da obra Rígido e Curvo, de Wassily Kandinsky, que atingiu o valor de 23,3 milhões de dólares, também um recorde para o pintor russo.

IP/ap/afp

De outros Notícias