Morre aos 99 anos a atriz Zsa Zsa Gabor

A atriz Zsa Zsa Gabor morreu aos 99 anos neste domingo (18/12) em Los Angeles após uma parada cardíaca, confirmou o marido dela, Frederic von Anhalt, nesta segunda-feira. A estrela de Hollywood lutava havia cinco anos contra uma série de complicações, que foram agravadas em função da idade avançada.

Gabor morreu em sua mansão no bairro de Bel Air, cercada por familiares e amigos e junto ao seu nono e último marido. Ele disse que ela morreu em paz e sem dor. "Tudo estava bem, e de repente suas mãos ficaram frias", relatou Von Anhalt, casado com Gabor desde 1986.

A atriz ainda foi levada a um hospital após o infarto, mas não resistiu. Há anos Gabor apresentava um estado de saúde delicado, que foi agravado em 2010, quando ela sofreu uma fratura no quadril. Em 2002, um acidente de trânsito e, em 2005, uma embolia já a havia deixado debilitada.

A saúde de Gabor havia piorado nos últimos dias, e seu marido convidou seus parentes para que comemorassem com ela o seu centenário antecipadamente.

A atriz, que completaria 100 anos em fevereiro, nasceu em 1917 na Hungria e chegou a Hollywood seguindo os passos de sua irmã Eva, para atingir uma fama que transcendeu a telona e inaugurou um novo tipo de fama: o de "celebridade".

Ela era "famosa por ser famosa", como chegou a se definir. Em seus 60 anos de carreira, teve tempo de se casar nove vezes e gerar escândalos que a transformaram em figura habitual das capas de jornais e revistas de celebridades no mundo todo. Tudo isso bem antes de Paris Hilton, bisneta de um homem com quem Gabor, aliás, casou-se: o empresário Conrad Hilton. Ele é o pai da única filha de Gabor, Francesca.

Gabor preferia os homens ricos ou galãs, como Frank Sinatra, Sean Connery e Howard Hughes, por isso muitos de seus romances foram tão ou mais famosos que suas aparições no cinema ou na televisão. No cinema, ela estrelou sucessos de bilheteria como Moulin Rouge (1952), Lili (1953) e A prisioneira do Kremlin (1957) e clássicos como A marca da maldade (1958), de Orson Welles. A atriz também ficou famosa na televisão com suas aparições em Bonanza e Batman.

Gabor era muito imitada em Hollywood por causa de seu sotaque e por sua mania de chamar a todos de darling (querido ou querida), que ela pronunciava dahlink. "Eu chamo a todo de dahlink porque não me lembro dos nomes", explicou.

TMS/efe/afp/dpa

De outros Notícias