Suecos criticam silêncio de Bob Dylan sobre Nobel de Literatura

Um membro importante da Academia Sueca, instituição responsável pela escolha do Prêmio Nobel de Literatura, criticou o cantor e compositor Bob Dylan por não ter comentado a honraria até o momento, chamando-o de arrogante. "Isso é indelicado e arrogante. É preciso que se diga", afirmou o autor sueco Per Wästberg nesta sexta-feira (21/10) à emissora de televisão SVT. "Algo assim nunca aconteceu", acrescentou o escritor.

Nesta semana, a Academia Sueca anunciou a sua desistência em contatar Dylan pessoalmente, mas informou ter falado com seus representantes. "Conseguimos falar com seu empresário e com seu gerente de turnê, e eles vão nos ligar de volta em algum momento", afirmou um porta-voz da Academia na última terça-feira.

Citada pela revista alemã Der Spiegel, a secretária da Academia Sueca, Sara Danius, declarou à emissora SR: "Eu liguei e enviei e-mails aos seus funcionários mais próximos e recebi respostas muito amigáveis. No momento, isso é suficiente."

Em 1964, o filósofo existencialista francês Jean-Paul Sartre recusou o Prêmio Nobel de Literatura. E até agora não se sabe se Dylan irá a Estocolmo receber o prêmio no próximo dia 10 de dezembro.

Pela quantidade de honrarias já aceitas, no entanto, não se pode dizer que Dylan sofra de alguma fobia a prêmios: o presidente Barack Obama lhe outorgou a Medalha da Liberdade, ele já ganhou um Oscar e diversos Grammys.

Na noite do dia 13 de outubro, dia em que foi anunciado o prêmio de literatura, Dylan fez um show em Las Vegas, no qual se limitou a tocar músicas e não fez nenhum comentário sobre o Nobel. Ele finalizou o show com uma versão do sucesso de Frank Sinatra Why try to change me now? (Por que tentar me mudar agora?).

CA/dpa/afp/ots

De outros Notícias