Dez dicas para acompanhar a Berlinale

Quantos filmes serão exibidos?

Um total de 399 filmes será exibido nesta edição de número 67 do festival, que começa nesta quinta-feira (09/02) e vai até o próximo dia 19. O número de projeções, porém, será bem mais alto, porque muitos filmes serão exibidos várias vezes. Das quase 400 obras, 125 são de autoria de mulheres.

Existe um tema geral?

Não. Existem alguns temas que atravessam as programações das diversas mostras paralelas à competição oficial. Alguns filmes lidam com o destino dos refugiados, como o longa de Aki Kaurismäki The Other Side of Hope (o outro lado da esperança, em tradução livre). Como é tradição na Berlinale, muitos filmes têm conteúdos políticos, e neste ano serão exibidos 92 documentários, quantidade superior à das edições anteriores. Muitas películas abordam o tema Europa e também há diversos dedicados a artistas. Na seção Panorama, muitos filmes tematizam a homossexualidade.

Que estrelas são esperadas?

Além dos muitos diretores que apresentarão pessoalmente seus novos filmes, o público espera, naturalmente, astros conhecidos. Hollywood está representada neste ano por estrelas como Richard Gere e Ethan Hawke, Cillian Murphy e Robert Pattinson são esperados. Neste ano, as atrações femininas vêm principalmente da Europa: Cécile de France e Penélope Cruz, Catherine Deneuve e Kristin Scott Thomas. Da Austrália vêm os atores Geoffrey Rush e Hugh Jackman. O cinema alemão é representado, entre outros, por Nina Hoss e Moritz Bleibtreu e Bruno Ganz.

Como o cinema o brasileiro se apresenta?

Neste ano, o Brasil tem presença forte, com 12 produções. Participa da mostra principal com Joaquim, de Marcelo Gomes, e compete ao Urso de Ouro de melhor curta-metragem com Estás vendo coisas, de Bárbara Wagner e Benjamin de Burca. Na seção Panorama, será representado por Vazante, de Daniela Thomas, Pendular, de Julia Murat, e pelo curta de animação Vênus – Filó, a fadinha lésbica, de Sávio Leite. As duas Irenes, de Fabio Meira, e Mulher do pai, de Cristiane Oliveira, integram a mostra Generation, juntamente com Não devore meu coração!, de Felipe Bragança, e o curta Em busca da terra sem males, de Anna Azevedo. Como nossos pais, de Laís Bodanzky, está na mostra Panorama Special. No intenso agora, de João Moreila Salles, faz parte da seção Panorama Dokumente. Na mostra Forum está Rifle, de Davi Pretto.

Quais os destaques internacionais esperados?

Há grandes expectativas entre algumas obras da competição oficial. Nela, serão mostradas, além do novo filme de Aki Kaurismäki, também produções de grandes talentos como Agnieszka Holland (Polônia), Sally Potter (Reino Unido), Hong Sangsoo (Coreia do Sul) e Alex de la Iglesia (Espanha). De Hollywood, está presente James Mangold. Mas nas outras seções da Berlinale também poderão ser vistos outros diretores consagrados, como James Gray, Raoul Peck, Fernando Trueba, Bruce LaBruce e Romuald Karmakar. Vale lembrar que o festival berlinense é sobretudo uma plataforma para descobrir novos talentos.

Que seções merecem atenção?

Além da competição e das seções tradicionais Panorama e Forum, também merece atenção a Generation. Muitos fãs da Berlinale amam esta seção, cujos filmes são de temática jovem. Mas o público mais velho também pode encontrar nela muitas joias cinematográficas. A seção NATIVe mostra filmes dos povos indígenas do norte. Na seção Kulinarisches Kino, o público não somente vê muitos filmes sobre nutrição e alimentação, mas também pode apreciar alguns dos pratos apresentados nas telas. Já Berlinale Shorts apresenta curtas-metragem.

O que a Berlinale faz pela história do cinema?

O festival também tem um olhar histórico. Na série Retrospektive, o destaque deste ano é o gênero de ficção científica. Nela, serão apresentadas algumas obras pouco conhecidas e sobretudo muitas obras recém-descobertas da Europa do Leste e da Ásia. A seção Berlinale Classics traz filmes de importância histórica restaurados, que há muito deixaram de ser mostrados em sua versão original. Nela, serão projetados, por exemplo, o filme mexicano Canoa e o clássico cult de terror dos EUA A noite dos mortos-vivos.

Também serão mostradas séries?

Sim, séries de TV também acabaram virando tradição em festivais de cinema. Entre as atrações, estão a alemã 4 Blocks, de Marvin Kren, e a britânica SS-GB, de Philipp Kadelbach. Fãs da história do cinema serão presenteados com uma versão restaurada da inovadora minissérie Oito Horas não são um dia, do cineasta alemão Rainer Werner Fassbinder.

Onde serão exibidos os filmes?

Em toda Berlim. O centro do festival é na Potsdamer Platz, onde acontecem todas as noites as cerimônias de estreia da seção competitiva, com direito a caminhada de estrelas de cinema sobre o tapete vermelho. Entre as salas de exibição tradicionais do festival estão os cinemas Zoopalast e Delphi, na antiga Berlim Ocidental.

Quais são os prêmios deste ano?

Os troféus principais são os Ursos de Ouro e de Prata. Desde 2006, também há um prêmio para o melhor filme de estreia de um diretor, que inclui 50 mil euros em dinheiro. A mesma soma em dinheiro será presenteada neste ano, pela primeira vez, para o melhor documentário premiado com o Glashütte Original Dokumentarfilmpreis. Além disso, serão distribuídos mais prêmios entre filmes de diversas seções, como o Teddy, dedicado ao melhor filme de temática gay/lésbica da seção Panorama. A estilista italiana Milena Canonero, conhecida, entre outros, por trabalhar com Stanley Kubrick, recebe o Urso de Ouro honorário pelo conjunto de sua obra. O troféu Berlinale Kamera 2017 será dado à produtora e distribuidora chinesa Nansun Shi, ao ator australiano Geoffrey rush e ao crítico de cinema egípcio Samir Farid.

De outros Notícias