Fatih Akin transforma best-seller em road movie

O diretor Fatih Akin queria filmar o best-seller alemão Tschick (lançado em português como Tchick) muito antes. Na Feira do Livro de Frankfurt de 2011, ele tomou conhecimento do livro. Depois de ler, ficou encantado. "Eu o devorei. Já durante a leitura eu pensava que gostaria de filmá-lo", conta o diretor alemão, famoso por filmes como The Cut, Contra a Parede e Nova York, Eu Te Amo.

Mas Akin teve de esperar. Havia outros nomes cogitados para a filmagem do romance escrito por Wolfgang Herrndorf e que alcançou um enorme sucesso. E, inicialmente, outro diretor famoso foi contratado. David Wnendt (Ele está de volta e Guerreira) já tinha completado os preparativos para começar a rodá-lo, mas, repentinamente, deixou o projeto. Procurava-se então outro diretor. Foi quando Akin entrou.

Mas o que chamou a atenção de Akin num romance sobre dois jovens marginalizados na sala de aula, que tornam-se amigos e cruzam a Alemanha num Lada antigo durante as férias de verão? Segundo ele, não foi a temática em si de adolescentes marginalizados.

"Estava mais interessado em alguém que estava apaixonado por uma menina de sua sala de aula, mas era ignorado", diz o diretor. "Ele precisa vivenciar todas essas aventuras e, quando retornar, finalmente ser visto por ela. Mas isso já não importa mais para ele. E, particularmente, eu conheço isso muito bem."

O romance Tschick foi lançado em 2010 e rapidamente se tornou um best-seller. Somente na Alemanha ele teve 2 milhões de cópias vendidas e foi traduzido para 24 idiomas. Também uma peça de teatro sobre a história se tornou sucesso de vendas. Na temporada teatral de 2014/2015 nenhuma outra peça foi tantas vezes encenada, deixando para trás até clássicos de Mozart e Shakespeare.

As muitas críticas positivas na imprensa alemã contribuíram para o imenso sucesso do romance, que muitas vezes é citado como um livro juvenil. Desde sua publicação, Tschick teve grande repercussão. Em especial, foram elogiados os diálogos, o uso seguro de gírias jovens e a linguagem despretensiosa e lacônica das personagens.

Foram feitas comparações literárias com clássicos como As aventuras de Tom Sawyer, As aventuras de Huckleberry Finn ou O apanhador no campo de centeio. Era apenas uma questão de tempo antes de o romance de Herrndorf, morto em 2013, ser descoberto pela indústria cinematográfica.

Akin assumiu a produção apenas sete semanas antes do início das filmagens. Olhando para trás, o produtor Marco Mehlitz vê estas circunstâncias excepcionais como uma vantagem. "O filme tem uma grande força. Talvez isso teria sido diferente se ele tivesse tido um longo tempo de preparação, que teria questionado certas coisas", comenta.

Para o filme, Akin contratou um elenco jovem e relativamente desconhecido. Tristan Göbel faz o papel de Maik – é da perspectiva dele que a história é contada. Já o menino alemão com ascendência russa Tschick, que dá nome ao filme, é interpretado por Anand Batbileg.

"É um eastern, um road movie clássico", resume Akin.

De outros Notícias