Alemanha compra casa de Thomas Mann na Califórnia

A Alemanha comprou a casa onde o escritor Thomas Mann morou em Los Angeles durante o seu exílio nos anos do regime nazista, anunciou nesta sexta-feira (18/11) o Ministério alemão do Exterior. Na casa no oeste da cidade, Mann completou algumas obras como Doutor Fausto e a última parte de José e seus irmãos. Ele viveu na propriedade entre 1941 e 1952 com a esposa e a filha.

"A casa de Mann foi a pátria para muitos alemães que lutaram juntos por um futuro melhor para nosso país e por um caminho para uma sociedade aberta e elaboraram os alicerces de valores transatlânticos", afirmou o ministro do Exterior da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, num comunicado.

O ministro disse que o objetivo do governo é ressuscitar este espírito da casa e criar um espaço para trocas culturais, além de ser ponto de encontro para artistas. "Há a necessidade de mais lugares onde não haja pressões externas, para intercâmbios sociais e culturais que possibilitem a luta pacífica por novas histórias e o trabalho em conjunto sobre questões do futuro", destacou.

A casa foi posta à venda por 12,5 milhões de euros. O governo alemão não confirmou quanto pagou pela casa. Como não estava protegida por patrimônio cultural, temia-se que investidores privados adquirissem a propriedade e a derrubassem para a construção de um imóvel mais lucrativo.

Políticos da Alemanha e uma petição na internet pediram que o governo alemão comprasse a propriedade. No alto de uma colina, a casa foi levantada a pedido do próprio Mann, durante seus anos de exílio nos EUA, quando fugiu do regime nazista. Esse fato em si já seria uma curiosidade, já que a maioria dos exilados alemães que viviam na região preferia alugar imóveis mais antigos.

Mann não só mandou construir a casa, como chamou um arquiteto modernista berlinense para projetá-la: Julius Ralph Davidson. Em 1952, ele vendeu o imóvel e voltou à Alemanha.

CN/efe/afp/dpa

De outros Notícias