Quadro de Klimt é o terceiro mais caro já leiloado na Europa

A paisagem floral Bauerngarten, de 1907, do simbolista austríaco Gustav Klimt, foi vendida por 47,97 milhões de libras (59 milhões de dólares), um recorde para um pintor austríaco e o terceiro maior preço já alcançado por uma obra num leilão na Europa, segundo a casa Sotheby's.

Na mesma sessão, dedicada à arte impressionista e moderna, arrematou-se por 17,03 milhões de libras a natureza morta Planta de Tomate, de Pablo Picasso, que o artista espanhol pintou em 1944, pouco antes da libertação de Paris pelos Aliados, na Segunda Guerra Mundial. Esta é a natureza morta mais cara já leiloada do artista, segundo a Sotheby's.

O retrato Portrait de Baranowski, feito pelo italiano Amedeo Modigliani, foi leiloado por 16,02 milhões de libras. O óleo, uma das 39 pinturas do italiano que foram exibidas na Bienal de Veneza de 1930, mostra uma modelo de corpo alongado e formas geométricas e estilizadas.

O quadro de Klimt, estrela do leilão, foi pintado durante o período áureo da carreira do austríaco e é considerado uma obra-prima da arte vienense do início do século passado.

Já a tela de Picasso é um dos quadros de uma série de cinco que tem sido considerada um símbolo pictórico da resistência e vitória das forças aliadas na Europa. No verão de 1944, o pintor espanhol vivia com sua amante, a modelo Marie-Thérèse Walter, no Boulevard Henri 4º de Paris, semanas antes de os Aliados libertarem a cidade dos nazistas.

Picasso começou a observar a evolução de uma planta de tomate que crescia nas janelas do apartamento, numa época em que havia escassez de comida, e tomou a resistência do vegetal como um símbolo de esperança.

Outro quadro do pintor espanhol vendido na sessão, por 13,65 milhões de libras, foi o óleo Femme nue assise, de 1965, que ele criou quando vivia com sua musa Jacqueline Roque.

AS/efe/rtr

De outros Notícias