May quer cortar imposto de empresas para impedir êxodo pós-Brexit

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, anunciou nesta segunda-feira (21/11) a intenção de reduzir o imposto britânico para empresas para o menor percentual entre os países do G20, grupo que reúne as principais nações industrializadas e emergentes.

"Meu objetivo não é apenas ter o imposto corporativo mais baixo do G20, mas também um sistema de impostos que seja fortemente pró-inovação", afirmou May em evento da Confederação da Indústria Britânica (CBI, na sigla em inglês), em Londres. Ela disse que vai detalhar seus planos em breve.

Segundo o jornal inglês Daily Telegraph, May quer reduzir o imposto corporativo, hoje em 20%, para menos de 15%, superando assim a promessa de campanha do presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump.

A planejada redução visa manter no Reino Unido as grandes empresas que temem ficar em desvantagem com a saída do país da União Europeia (UE). Além disso, a intenção é atrair novas empresas para o país.

O ministro alemão das Finanças, Wolfgang Schäuble, criticou os planos fiscais de May. Ele lembrou que o Reino Unido ainda faz parte da União Europeia e é, assim, obrigado a seguir a legislação do bloco. E mesmo que o Reino Unido deixe a UE, os britânicos ainda estão comprometidos com acordos firmados no âmbito do G20 – "ao menos se forem pessoas decentes", disse o ministro, referindo-se a um compromisso acertado na cúpula realizada na Turquia, em 2015.

Na Europa, a tributação corporativa mais baixa é observada na Irlanda (12,5%). Na Alemanha, a taxa é de quase 30%.

IP/rtr/ap/dpa

De outros Notícias