Carros elétricos podem custar 10 mil empregos na Volks

A Volkswagen planeja cortar mais de 10 mil postos de trabalho em todo o mundo nos próximos anos ao mudar o foco da empresa para a fabricação de carros elétricos, na esteira do escândalo de emissões de carros a diesel, afirmou um executivo da montadora alemã.

"Não se trata de cortar algumas centenas de postos de trabalho", afirmou Karlheinz Blessing, diretor de recursos humanos da Volkswagen, na edição deste sábado (29/10) do jornal Frankfurter Allgemeine Zeitung (FAZ). "Ao longo dos anos, isso equivalerá a um número de cinco dígitos em todo o mundo."

Veículos com motores elétricos possuem menos componentes do que os carros com motores a combustão. "Por isso, precisamos a longo prazo de menos funcionários para a linha de produção", afirmou Blessing.

Isso, segundo ele, ocorreria também mesmo se o escândalo de manipulação de softwares que medem a emissão de gases de veículos a diesel não tivesse acontecido. "Agora, a pressão para agir é maior", declarou.

Ele reiterou o compromisso do conselho da empresa que não haverá demissões forçadas. "Mas nós vamos reduzir o número de funcionários", contou. "É apenas uma questão de tempo até que a demanda por determinados componentes diminua", afirmou.

Na Volkswagen, representantes dos trabalhadores e o conselho da empresa discutem há semanas sobre a reestruturação do grupo e o impacto dos veículos elétricos sobre os empregos na montadora. A empresa tem planos de desenvolver e fabricar mais de 30 novos carros elétricos em 2025.

O grupo Volkswagen emprega mais de 620 mil pessoas do mundo, 280 mil delas na Alemanha.

FC/afp/faz/ots

De outros Notícias