Greve da Lufthansa afeta 100 mil passageiros

Cerca de 100 mil passageiros são afetados pela greve de pilotos da companhia aérea Lufthansa nesta quarta-feira (23/11), informou a empresa alemã em comunicado. Ao total, 876 voos operados pelo grupo foram cancelados, 51 deles sendo rotas internacionais. A paralisação deve se estender até a meia-noite de quinta-feira (hora local).

Segundo comunicado da Lufthansa, dos 3 mil voos programados, apenas 2.124 serão realizados. Os 5,4 mil pilotos da companhia paralisaram suas atividades à meia-noite, no que já representa a 14ª greve do grupo desde abril de 2014.

A companhia recorreu a um tribunal de Frankfurt para impedir a greve, mas o pedido foi rejeitado.

A greve afeta sobretudo os aeroportos de Frankfurt e Munique, mas envolve apenas rotas da Lufthansa. Voos operados pelas subsidiárias Germanwings, Eurowings, Air Dolomiti, Austrian Airlines, Swiss e Brussels Airlines deverão operar normalmente.

O voo LH 506, que partiria de Frankfurt para São Paulo-Guarulhos às 21h55 (hora local), foi cancelado. No site da Lufthansa ainda não há confirmação se o mesmo voo programado para a quinta-feira sairá.

Nesta quinta-feira, estão previstos ainda dois voos da Lufthansa saindo do Brasil em direção a Frankfurt – o LH 501, que parte do Rio, e o LH 507, de São Paulo. Ainda não há informação se ambos serão afetados pela greve.

A greve dos pilotos da companhia aérea foi convocada pelo sindicato Cockpit depois de terem fracassado as negociações para um acordo coletivo. A última rodada de negociações entre a empresa e o sindicato foi interrompida em setembro de 2015.

Os pilotos pedem aumentos salariais de 3,66% por ano com efeitos retroativos desde 2012. A Lufthansa oferece 2,5% durante um período de seis anos.

IP/efe/lusa/afp/rtr

De outros Notícias