Justiça brasileira fecha acordo milionário com Rolls-Royce

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos confirmou nesta terça-feira (17/01) que a empresa britânica Rolls-Royce pagará mais de 800 milhões de dólares aos EUA, Reino Unido e Brasil, como parte de um acordo preliminar sobre os casos de suborno e corrupção nos quais está envolvida em seis países.

A empresa admitiu ter pagado mais de 35 milhões de dólares em propina a funcionários de estatais no Cazaquistão, Tailândia, Brasil, Azerbaijão, Angola e Iraque para ganhar licitações. No Brasil, os atos ilícitos praticados pela Rolls-Royce foram descobertos no âmbito da operação Lava Jato.

A Justiça brasileira fechou com a empresa um acordo no valor de 81,1 milhões de reais. O Ministério Público Federal (MPF) disse nesta terça-feira que o acordo garantiu a devolução dos lucros obtidos em seis contratos mantidos com a Petrobras, no montante de 39,7 milhões de reais, o valor integral pago a título de comissão a intermediários contratados para atuar junto da estatal, no montante de 20,7 milhões de reais, somados a uma multa.

O valor negociado com o MPF será pago diretamente à Petrobras, no prazo de 90 dias contados a partir da homologação do acordo que ainda será submetido à análise da 5.ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal.

Operação Lava Jato

A empresa começou a ser investigada no Brasil há quase dois anos, após ter sido citada pelo ex-gerente da Diretoria de Serviços da Petrobras Pedro Barusco como autora do pagamento de subornos em troca de um contrato de fornecimento de turbinas para produção de energia, que foram instaladas em plataformas de petróleo da estatal.

Segundo as autoridades brasileiras, a Rolls-Royce entregou ao MPF, ainda no início de 2015, os resultados de uma investigação interna e colocou-se à disposição da Justiça para esclarecer os fatos e assumir a sua responsabilidade.

O Departamento de Justiça americano disse que a Rolls-Royce pagou 9,3 milhões de dólares de propina a um operador e a um funcionário da Petrobras para conseguir contratos com a estatal entre 2003 e 2013.

Em nota, o presidente-executivo da empresa, Warren East, pede desculpas pelos esquemas de suborno e destacou que, desde então, a Rolls-Royce reformulou seu código de conduta e cortou o uso de operadores.

Além do Brasil, a Rolls-Royce pagará 170 milhões de dólares de multa aos Estados Unidos e 616 milhões de dólares ao Reino Unido.

CN/lusa/rtr

De outros Notícias