O Brasil na imprensa alemã

Frankfurter Allgemeine Zeitung – Temer se deixa espantar por fantasma, 13.03.2017

"Por exatos 11 dias o presidente brasileiro, Michel Temer, e sua família moraram no Palácio da Alvorada. Na semana passada, eles retornaram de forma surpreendente ao Palácio do Jaburu, que fica a um pulo de distância. À revista semanal Veja, Temer relatou que já na primeira noite não conseguiu pegar no sono na residência presidencial. "Senti uma coisa estranha lá. A energia não era boa. A Marcela sentiu a mesma coisa. Só o Michelzinho, que ficava correndo de um lado para outro, gostou. Chegamos a pensar: será que tem fantasma?" Agora a família presidencial voltou a dormir no já íntimo palácio do vice-presidente. Que, por sorte, estava vazio, já que a vice-presidência está vaga desde agosto."

Süddeutsche Zeitung – Por medo de fantasma, presidente foge do seu palácio, 12.03.2017

"Numa das últimas noites de Michel Temer no palácio presidencial pode ter se dado o seguinte: o presidente acabara de tomar um chá e andava de pantufas, arrastando os pés, na direção do banheiro. Aí um espírito apareceu para ele. 'Quem é você? O que você quer?', perguntou o presidente. 'Eu sou a democracia', respondeu o espírito. 'O que você está fazendo comigo, Michel?' Histórias fictícias como essa circulam por sites brasileiros desde que o presidente deu uma entrevista à revista Veja."

Süddeutsche Zeitung – Figura-chave num enorme escândalo de corrupção, 08.03.2017

"Quando Marcelo Odebrecht foi detido, ele vestia um calção de banho. Ele disse que estava indo nadar, como todas as manhãs. Nas fotos tiradas neste dia de junho de 2015 vê-se um homem em boa forma física, que se deixa levar de forma solícita. Parece até que ele está sorrindo. Seu rosto comunica uma convicção plena: uma pessoa como ele, com a influência dele, com as sua relações, não fica muito tempo atrás das grades no Brasil. Essa foi a avaliação mais equivocada da sua vida."

RP Online – Assassino condenado retorna ao gol e divide o Brasil, 15.03.2017

"Uma equipe da segunda divisão anuncia a contratação de um suposto assassino por razões humanitárias, mas todos os patrocinadores caem fora. A população esbraveja na internet, mas tira fotos com o goleiro. Um assassinato sem cadáver. Um goleiro condenado sem arrependimento ou sem culpa. Um clube provinciano que queria alcançar as manchetes e agora tenta salvar sua reputação. O futebol brasileiro é palco de um drama em torno de Bruno Fernandes, que, por causa do desaparecimento sem deixar rastros de sua ex-namorada Eliza Samudio, deveria era estar atrás das grades por 22 anos e três meses."

AS/ots

De outros Notícias