Interminável: 2016 terá um segundo a mais

Quem está ansioso para que o ano termine logo vai ter de esperar mais um pouco. O ano de 2016 terá um segundo a mais que 2015. Na virada do ano, entre meia noite de 31 de dezembro e 1º de janeiro, relógios de todo o mundo vão parar por um segundo para reajustar seus ponteiros.

A culpa é do planeta. A Terra demora 24 horas para completar uma volta em torno de si – o movimento de rotação. Mas, diferentemente do que os cientistas previram quando estabeleceram a duração das medidas de tempo (com base nos movimentos terrestres), a velocidade de rotação da Terra é irregular e imprevisível, podendo sofrer influências de variações gravitacionais, dos oceanos e da atmosfera.

O acréscimo do chamado "segundo intercalar" é uma forma de compensar a defasagem entre a velocidade real de rotação da Terra e o tempo oficial marcado pelos relógios, o Tempo Universal Coordenado (UTC, na sigla em inglês).

O "segundo intercalar" será incluído na noite do dia 31 de dezembro às 23h59min59, no horário do Meridiano de Greenwich, a partir do qual se calculam os fusos de todo o mundo.

Como o Brasil está duas horas atrás do fuso UTC, o segundo extra será incluído antes das 22 horas do último dia do ano. Assim, entre 21h59min59 e 22h00min00, será acrescentado o tempo 21h59min60. Para os países que estão a leste de Greenwich, a diferença de fuso horário fará com que o segundo extra apareça só na madrugada do primeiro dia de 2017.

Quem decide quando o "segundo intercalar" deve ser incluído é o Serviço Internacional da Rotação Terrestre, que monitora diariamente a rotação da Terra por meio de observatórios espalhados em todo o mundo.

O primeiro "segundo intercalar" foi inserido em 1972. Na ocasião, cientistas estimavam que a diferença entre o tempo medido pelos relógios e o de rotação terrestre era de cerca de 10 segundos. Até hoje, segundos intercalares já foram acrescidos 26 vezes. A última inclusão aconteceu no dia 30 de junho de 2015.

Sem a adição do "segundo intercalar", os dias seriam cada vez mais longos. "Se o despertador está atrasado, podemos simplesmente reajustar os ponteiros. Com a Terra, é diferente. Temos de adaptar nossos relógios à velocidade rotacional do planeta, senão daqui a 2.000 anos o sol irá se pôr à meia noite”, diz Wolfgang Dick, cientista do Serviço Internacional da Rotação Terrestre.

Embora pareça inofensiva, a mudança nos ponteiros pode provocar problemas. Em anos anteriores, foram registrados casos de servidores online, como o Linkedin e o site da companhia aérea australiana Qantas, que experimentaram falhas no funcionamento e até ficaram fora do ar após a inclusão do segundo extra. De acordo com o jornal The Washington Post, para evitar problemas na sincronização de aplicativos integrados, o Google deve distribuir o "segundo intercalar" ao longo de 20 horas.

NT/dpa/dw/ots

De outros Notícias