A alta do dólar e o aumento da competitividade dos destinos nacionais deve influenciar positivamente no turismo nacional. Essa é a aposta do Ministério do Turismo brasileiro para manter o setor interno aquecido em tempos de crise.

 

Por sua grandeza geográfica, o Brasil conta com opções para todos os tipos de turismo: culturais, gastronômicos, ecológicos ou de aventura, de praia, casais, viagem com crianças, terceira idade, entre outros. O país está, assim, pronto a agradar a todos os tipos de turistas.

 

De acordo com o estudo “Sondagem do Consumidor – Intenção de Viagem”, divulgado pelo Ministério do Turismo, os destinos nacionais devem ser os escolhidos de 9 a cada 10 brasileiros para as próximas férias. Esta pesquisa é realizada todos os meses e ouve 2 mil pessoas em Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

 

Maiores de 35 anos lideram a preferência pelo Brasil

Houve um crescimento de 8% no número de pessoas que desejam conhecer o Brasil (de 78,4% para 86,4%) em comparação aos resultados de dezembro de 2014. São os turistas com até 35 anos que têm maior interesse pelo turismo interno, mas estes foram seguidos bem de perto pelo grupo de 35 a 60 anos, com 82,7% da preferência.

 

Entre as regiões favoritas, o Nordeste (36,9%) e o Sudeste (36,8%) praticamente empatam estatisticamente. A região Sul ficou em terceiro lugar com 17,3%, seguida pelo Centro-Oeste (6,4%) e o Norte (2,6%).

 

No entanto, o interesse em economizar na hospedagem é visível na faixa etária com até 35 anos. A maioria destes (59,8%) afirmar buscar acomodação com parentes e amigos – batendo o recorde do índice dessa categoria desde 2008, e colocando essa opção 23% mais alta do que o apurado no mesmo período de 2014.

 

Avião é o meio de transporte preferido

Já quando se fala em transporte, o avião e o carro são os escolhidos pela maioria, ambos com 38,8% da preferência dos viajantes. Já o ônibus foi citado como favorito por apenas 15% dos entrevistados, sendo que os outros 7,4% sugeriram outros meios, como motocicletas, navios, entre outros.

 

De olho na demanda por novas rotas aéreas, a Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República (SAC/PR) realizou o estudo “O Brasil que voa – Perfil dos Passageiros, Aeroportos e Rotas do Brasil” e identificou 252 municípios brasileiros com potencial para ser origem ou destino de novas rotas para voos diários.

 

Entre as rotas que os brasileiros mais gostariam de ver implantadas, a preferida é a Rio de Janeiro (RJ)–Vila Velha (ES), seguida por Blumenau (SC)–São Paulo (SP), e Campo Grande (MT)–Rio de Janeiro (RJ).